Arquivos

A vida depois da vida.


Invisíveis mais não ausentes.

Quando morreu, no século XIX,
Victor Hugo arrastou nada menos que dois
milhões de acompanhantes
em seu cortejo fúnebre, em plena Paris.
Lutador das causas sociais, defensor dos oprimidos, divulgador do ensino e da
educação.

O genial literato deixou textos inéditos que,por sua vontade, somente foram
publicados após a sua morte.

Um deles fala exatamente do homem e da imortalidade   e se traduz mais ou menos nas seguintes palavras:

"A morte não é o fim de tudo.
Ela não é senão o fim de uma coisae o começo de outra. Na morte o homem acaba,e a alma começa.

Que digam esses que atravessam a hora fúnebre,a última alegria, a primeira do luto.
Digam se não é verdade que ainda há ali alguém,
e que não acabou tudo?

Eu sou uma alma.
Bem sinto que o que darei ao túmulo não é o meu eu, o meu ser.
O que constitui o meu eu, irá além.

O homem é um prisioneiro.O prisioneiro escala penosamente
os muros da sua masmorra.Coloca o pé em todas as saliências
e sobe até ao respiradouro.

Aí, olha, distingue ao longe a campina,
Aspira o ar livre, vê a luz. Assim é o homem.

O prisioneiro não duvida que encontrará
a claridade do dia, a liberdade.

O mundo luminoso é o mundo invisível.
O mundo do luminoso é o que não vemos.
Os nossos olhos carnais só vêem a noite.

A morte é uma mudança de vestimenta.

A alma, que estava vestida de sombra,vai ser vestida de luz.


 Na morte o homem fica sendo imortal.
A vida é o poder que tem o corpo de manter
a alma sobre a terra, pelo peso que faz nela.

 A morte é uma continuação.
Para além das sombras,estende-se o brilho da eternidade.
As almas passam de uma esfera para outra, tornam-se cada vez mais luz.

Aproximam-se cada vez mais e mais de Deus.

 O ponto de reunião é no infinito.
Aquele que dorme e desperta, desperta e vê que é homem.
Aquele que é vivo e morre, desperta e vê que é Espírito”.

                                                                           Victor Hugo.

 

Muitos consideram que o falecimento de uma pessoa amada é verdadeira desgraça,
quando, em verdade, morrer não é finar-se nem consumir-se, mas libertar-se.
Assim, diante dos que partiram na direção da morte, assuma o compromisso de preparar-se
 para o reencontro com eles na vida espiritual.
Prossegue em sua jornada na Terra sem adiar as realizações superiores que lhe competem.
Pois elas serão valiosas, quando você fizer a grande viagem, rumo à madrugada  clarificadora da eternidade.
Que Deus nos ilumine hoje e sempre!
 




A arte de viver juntos


 A arte de viver juntos.

Conta uma lenda dos índios sioux que, certa vez, Touro Bravo e Nuvem azul chegaram de mãos dadas à tenda do velho feiticeiro da tribo e pediram: 

  Nos nos amamos e vamos nos casar.


Mas nos amamos tanto que queremos um conselho que nos garanta ficar sempre juntos, que nos assegure estar um ao lado do outro até a morte.
Há algo que possamos fazer?

E o velho, emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:


Há o que possa ser feito, ainda que sejam tarefas muito difíceis.
Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte da aldeia apenas com uma
rede, caçar o falcão mais vigoroso e trazê-lo aqui, com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia.
 E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha
do trono; lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias.
Somente com uma rede deverás apanhá-la, trazendo-a para mim viva!

Os jovens se abraçaram com ternura e logo partiram para cumprir a missão.
No dia estabelecido, na frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves.

O velho tirou-as dos sacos e constatou que eram verdadeiramente formosos exemplares dos animais que ele tinha pedido.
E agora, o que faremos? Os jovens perguntaram.
 
-Peguem as aves e amarrem uma à outra pelos pés com essas fitas de couro. Quando estiverem amarradas, soltem-nas para que voem livres. Eles fizeram o que lhes foi ordenado e soltaram os pássaros. A águia e o falcão tentaram voar, mas conseguiram apenas saltar pelo terreno.
 
Minutos depois, irritadas pela impossibilidade do vôo, as aves arremessaram-se uma contra a outra, bicando-se até se machucar.


Então o velho disse:
-Jamais esqueçam o que estão vendo, esse é o meu conselho.



Vocês são como a águia e o falcão.
Se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se como também, cedo ou tarde, começarão a machucar um ao outro.

Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados.
Libere a pessoa que você ama para que ela possa voar com as próprias asas.



Essa é uma verdade no casamento e também nas relações familiares, de amizades e profissionais.
 Respeite o direito das pessoas de voar rumo
ao sonho delas. 
A lição principal é saber que somente livres as pessoas são capazes de amar.

Autor desconhecido.

 


Relacionamentos

Relacionamentos

(Por Arnaldo Jabor) 
 
Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:
– Ah,terminei o namoro…
– Nossa, estavam juntos há tanto tempo…..
– Cinco anos….que pena…acabou….
– é…não deu certo…

Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo,
como cobrar cem por cento do outro?


E não temos essa coisa completa.

Às vezes ela é fiel, mas é devagar na cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível.


Tudo junto, não vamos encontrar.
Perceba qual o aspecto mais importante para você e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona…
Acho que o beijo é importante…e se o beijo bate…se joga…se não bate…mais um Martini, por favor…e vá dar uma volta.


Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não brigue, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar…. ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.

O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos,

 mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.


Que graça tem alguém do seu lado sob pressão?
O legal é alguém que está com você, só por você. E vice versa.
Não fique com alguém por pena. Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração…..


Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo.
E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse….
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.


Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
E nem todo sexo bom é para descartar…. Ou se apaixonar… Ou se culpar…
Enfim…quem disse que ser adulto é fácil ?????’ 
 

VIAJANTES SIM,SOLITÁRIOS NÃO.

 
NÃO SOMOS VIAJANTES SOLITÁRIOS,SOMOS GRUPOS AMIGOS
A AJUDAR NOS UNS AOS OUTROS.
FAZEMOS PARTE DE GRUPOS QUE UM DIA NÓS FERIMOS OU NOS FERIU.
HOJE ESTAMOS JUNTOS PARA NOS REEQULIBRAR.
BEIJOS,  R.Li                     

Um dia vc aprende / william shakespeare

Um dia você aprende.
de
william shakespeare
 
 
Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se,

 
que companhia nem sempre significa segurança,
e começa a aprender que beijos não são contratos,
e que presentes não são promessas.
Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante,
com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança;


aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo,
e aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam…
aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai ferí-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais,
e descobre que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um
instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida;
aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias,
e o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida,
e que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que eles mudam;
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas;
pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar-se com os outros,
mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas onde se está indo,

mas se você não sabe para onde está indo qualquer lugar serve.
Aprende que ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se;
aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou;
aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha;
aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens;

poucas coisas são tão humilhantes… e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando se está com raiva se tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame
não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode,
pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém;
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás, portanto,
plante seu jardim e decore sua alma ao invés de esperar que alguém lhe traga flores,

e você aprende que realmente pode suportar…
que realmente é forte e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.
Descobre que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!
Nossas dúvidas são traidoras
e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar,
se não fosse o medo de tentar.
 

O milho da pipoca / Para nós duas.

Esse é um texto inspirador.

 para quem  precisa de um empurrãozinho para encarar as mudanças e transformações tão necessárias na vida.

Essa mensagem, que há algum tempo li, me fez refletir muito sobre a melhor forma de encarar os desafios.

O texto nos mostra que as dificuldades e os momentos difíceis pelos quais passamos sempre trazem um ganho, uma recompensa.

Mais que isso: a conseqüência de todo esse processo é o amadurecimento pessoal.

É como se uma nova pessoa nascesse no lugar da outra, que passou por tantos desafios.

 Ou seja, surge alguém mais forte. Por certo alguém muito, muito melhor. Vamos lá?

Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca para sempre.
Assim acontece com a gente: as grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.

Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito a vida inteira.

 Milhos de pipoca que não estouram são pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosas.

 Mas elas não percebem, e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.

De repente vem o fogo.

O fogo é quando a vida nos lança numa situação nunca imaginada: a dor.
Pode ser fogo de fora – perder um amor, um filho, o pai, a mãe, ficar sem emprego ou tornar-se pobre.
Pode ser fogo de dentro – pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimentos cujas causas ignoramos.

Sempre há o recurso de apagar o fogo. Sem fogo, o sofrimento vai diminuir,

mas diminuirá também a possibilidade da grande transformação.
Imagino que a pipoca, fechadinha dentro da panela,

cada vez mais e mais quente, pensa que sua hora chegou: vou morrer!

Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma,

 ela não consegue imaginar um destino diferente para si.

Não imagina a transformação para a qual está sendo preparada.
A pipoca não sabe do que é capaz. Aí, sem aviso prévio,

pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: BUM!

E ela aparece como outra coisa completamente diferente.

 Algo que ela nunca havia sonhado ser.
Bom, mas ainda temos o piruá – aquele milho de pipoca que se recusa a estourar.

É como aquela pessoa que insiste em não mudar.

Ela acha que não pode existir nada mais maravilhoso que sua própria maneira de ser.

 A presunção e o medo são as duras cascas do milho que não estoura.

No entanto, o destino dela é triste: será duro pela vida inteira!

 

Deus é o fogo que amacia nosso coração e tira dele o que há de melhor.

Acredite: para extrairmos o melhor de dentro de nós, temos de, assim como a pipoca, passar pelas provas da vida.
Talvez hoje você não entenda o motivo de estar passando por algo.

Mas, quanto mais quente o fogo, mais rápido a pipoca vai estourar.

 

Autor desconhecido.

 

continuação de EDUCAR/ RUBENS ALVES

 

Rubem Alves – Nasceu em 15 de setembro de 1933, em Boa Esperança, Minas Gerais.
 

Mestre em Teologia, Doutor em Filosofia, psicanalista e professor emérito da Unicamp. Tem três filhos e cinco netas.
 

Poeta, cronista do cotidiano, contador de histórias, um dos mais admirados e respeitados intelectuais do Brasil.
 
 
 

Ama a simplicidade
Ama a ociosidade criativa
Ama a vida, a beleza e a poesia
 

Ama as coisas que dão alegria
Ama a natureza e a reverência
pela vida
 

Ama os mistérios
 

Ama a educação como fonte de esperança e transformação
 

Ama todas as pessoas, mas tem um carinho muito especial pelos alunos e professores
 

Ama Deus, mas tem sérios problemas com o que as pessoas pensam e/ou dizem a Seu respeito
 

Ama as crianças e os filósofos – ambos têm algo em comum:
 

fazer perguntas
 

Ama, ama, ama, ama…
 
 
    
 
 
Experiência mística não é ver seres de um outro mundo.
É ver este mundo iluminado pela beleza.”
 Rubem Alves