Arquivo | setembro 2008

A TIGELA DE MADEIRA.

 

 
 
Um senhor de idade foi morar com seu filho, nora e o netinho de quatro anos de idade. As mãos do velho eram trêmulas, sua visão embaçada e seus passos vacilantes.
 
 
 

A família comia reunida à mesa. Mas, as mãos trêmulas e a visão falha do avô o atrapalhavam na hora de comer. Ervilhas rolavam de sua colher e caíam no chão. Quando pegava o copo, leite era derramado na toalha da mesa. O filho e a nora irritaram-se com a bagunça.
 
 
 
 
– "Precisamos tomar uma providência com respeito ao papai", disse o filho.
– "Já tivemos suficiente leite derramado, barulho de gente comendo com a boca aberta e comida pelo chão."
 
 
 
 

Então, eles decidiram colocar uma pequena mesa num cantinho da cozinha. Ali, o avô comia sozinho enquanto o restante da família fazia as refeições à mesa, com satisfação.
 
 
 

 

Desde que o velho quebrara um ou dois pratos, sua comida agora era servida numa tigela de madeira.
 
 
 
 

Quando a família olhava para o avô sentado ali sozinho, às vezes ele tinha lágrimas em seus olhos. Mesmo assim, as únicas palavras que lhe diziam eram admoestações ásperas quando ele deixava um talher ou comida cair ao chão.
 
 
 

O menino de 4 anos de idade assistia a tudo em silêncio. Uma noite, antes do jantar, o pai percebeu que o filho pequeno estava no chão, manuseando pedaços de madeira.
 

Ele perguntou delicadamente à criança:
"O que você está fazendo?"
O menino respondeu docemente:
– "Ah, estou fazendo uma tigela para você e mamãe comerem, quando eu crescer."
 
 
 

O garoto de quatro anos de idade sorriu e voltou ao trabalho. Aquelas palavras tiveram um impacto tão grande nos pais que eles ficaram mudos. Então lágrimas começaram a escorrer de seus olhos.
 
 
 

Embora ninguém tivesse falado nada, ambos sabiam o que precisava ser feito. Naquela noite o pai tomou o avô pelas mãos e gentilmente conduziu-o à mesa da família.
 
 
 

Dali para frente e até o final de seus dias ele comeu todas as refeições com a família. E por alguma razão, o marido e a esposa não se importavam mais quando um garfo caía, leite era derramado ou a toalha da mesa sujava.
 
 

De uma forma positiva, aprendi que não importa o que aconteça, ou quão ruim pareça o dia de hoje, a vida continua, e amanhã será melhor.
 
 
Aprendi que se pode conhecer bem uma pessoa, pela forma como ela lida com
três coisas: um dia chuvoso, uma bagagem perdida e os fios das luzes
 de uma árvore de natal que se embaraçaram.
 
 Aprendi que, não importa o tipo de relacionamento que tenha com seus pais,

 você sentirá falta deles quando partirem.
 
 
Aprendi que "saber ganhar" a vida não é a mesma coisa que "saber viver".
 

 

Aprendi que a vida às vezes nos dá uma segunda chance.
Aprendi que viver não é só receber, é também dar.
 

 

Aprendi que se você procurar a felicidade, vai se iludir. Mas, se focalizar a atenção na família, nos amigos, nas necessidades dos outros, no trabalho e procurar fazer o melhor, a felicidade vai encontrá-lo.
 

Aprendi que sempre que decido algo com o coração aberto, geralmente acerto.
Aprendi que quando sinto dores, não preciso ser uma dor para outros.
 

 
Aprendi que diariamente preciso alcançar e tocar alguém.
As pessoas gostam de um toque humano –
segurar na mão, receber um abraço afetuoso, ou simplesmente um tapinha amigável nas costas.
 

Aprendi que ainda tenho muito que aprender…
 
 
 

As pessoas se esquecerão do que você disse… Esquecerão o que você fez…
 Mas nunca esquecerão como você as tratou.

DE UM BASTA / NÃO PERMITA QUE ISSO CONTINUE.

  

Não é o meu aniversário ou nenhum outro dia especial;
 Tivemos a nossa primeira discussão ontem à noite e ele me disse
muitas coisas cruéis que me ofenderam de verdade.
Mas sei que está arrependido que não falou a sério, porque ele me enviou flores hoje.
E não é o nosso aniversário ou nenhum outro dia especial.
 

 
Ontem ele me atirou contra a parede e começou a asfixiar-me.
Parecia um pesadelo, mas dos pesadelos acordamos e sabemos que não são reais.
Hoje acordei cheia de dores e com golpes em todos lados.
Mas eu sei que ele está arrependido, porque me enviou flores hoje.
E não é Dia dos Namorados ou nenhum outro dia especial.
 
 
 

Ontem à noite me bateu e ameaçou me matar.
Nem a maquiagem ou as mangas compridas poderiam ocultar
os cortes e golpes que me marcaram desta vez.
Não pude ir ao emprego hoje porque não queria que percebessem.
 Mas eu sei que ele está arrependido porque  me enviou flores hoje.
E não era Dia das Mães ou nenhum outro dia especial.
 
 
  Ontem, à noite, ele voltou a me bater, mas desta vez foi bem pior.

Se conseguir deixá-lo, o que  vou fazer? Como poderia eu sozinha manter os meus filhos?
O que acontecerá se faltar dinheiro?
Tenho tanto medo! Mas dependo tanto dele que tenho medo de ir embora.
 Mas eu sei que está arrependido, porque ele me enviou flores hoje.
 
 
Hoje é um dia muito especial:
É o dia do meu funeral.
Ontem finalmente conseguiu me matar.

Bateu em mim até eu morrer.
 
 
Se ao menos eu tivesse tido a coragem e a
força para ir embora…
Se tivesse pedido ajuda profissional…
Hoje não teria recebido flores!
 
 

Por uma vida sem violência!!!
Partilhe essa mensagem para criar consciência…
 
 PARA QUE SE TENHA RESPEITO PARA COM A
MULHER, COM AS CRIANÇAS, COM O IDOSO, ENFIM
QUE SE TENHA RESPEITO COM O PRÓXIMO, SEJA LÁ QUEM FOR !!!
 
 

DENUNCIE A VIOLÊNCIA… !!!
DÊ UM BASTA!!!
 
 

SÃO CENAS CRUÉIS ,QUE ACONTECEM TODOS OS DIAS
EM TODAS AS PARTES DO PLANETA TERRA.
ISSO OCORRE COM IDOSOS, CRIANÇAS, MULHERS, JOVENS.
VAMOS DAR UM BASTA A VIOLÊNCIA.
"SENHOR" DE MISERICÓRDIA  INFINITA  NOS  AJUDE A FAZER UM MUNDO MELHOR
COM MAS AMOR.

continuação de EDUCAR/ RUBENS ALVES

 

Rubem Alves – Nasceu em 15 de setembro de 1933, em Boa Esperança, Minas Gerais.
 

Mestre em Teologia, Doutor em Filosofia, psicanalista e professor emérito da Unicamp. Tem três filhos e cinco netas.
 

Poeta, cronista do cotidiano, contador de histórias, um dos mais admirados e respeitados intelectuais do Brasil.
 
 
 

Ama a simplicidade
Ama a ociosidade criativa
Ama a vida, a beleza e a poesia
 

Ama as coisas que dão alegria
Ama a natureza e a reverência
pela vida
 

Ama os mistérios
 

Ama a educação como fonte de esperança e transformação
 

Ama todas as pessoas, mas tem um carinho muito especial pelos alunos e professores
 

Ama Deus, mas tem sérios problemas com o que as pessoas pensam e/ou dizem a Seu respeito
 

Ama as crianças e os filósofos – ambos têm algo em comum:
 

fazer perguntas
 

Ama, ama, ama, ama…
 
 
    
 
 
Experiência mística não é ver seres de um outro mundo.
É ver este mundo iluminado pela beleza.”
 Rubem Alves

 

Educar essa homenagem a minha tia Alrrecyr, minha mestra

 
 
 
– Educar –
 
 
“Educar é mostrar a vida
a quem ainda não a viu.O educador diz:
“Veja!”
– e, ao falar, aponta.  
 
 
 
O aluno olha na direção apontada e vê o que nunca viu. 
Seu mundo se  expande Ele fica mais rico interiormente…” 
“Já li muitos livros sobre psicologia da educação, sociologia da educação,
filosofia da educação – mas, por mais que me esforce,
não consigo me lembrar de qualquer referência à educação do olhar ou à
importância do olhar na educação, em qualquer deles.”
 

“A primeira tarefa da educação é ensinar a ver…
 
 

 
 
 
“É através dos olhos que as crianças tomam contato com
a beleza e o fascínio do mundo…”

 

“E, ficando mais rico interiormente, ele
pode sentir mais alegria e dar mais alegria – 
que é a razão pela qual vivemos.”  

“Os olhos têm de ser educados para que nossa alegria aumente.” 

 
 
 
 
“A educação se divide em duas partes:
 educação das habilidades e educação das sensibilidades…”
 
 
 
 
 
 
 
“Sem a educação das sensibilidades,
 

todas as habilidades são tolas e sem sentido.”
 
 

 

 
 
 
“Os conhecimentos nos dão meios para viver.

A sabedoria nos dá razões para viver.” 
 “Quero ensinar as crianças. 
Elas ainda têm olhos encantados.
Seus olhos são dotados daquela qualidade que,
para os gregos, era o início do pensamento:…”

 

 

 

“…a capacidade de se assombrar diante do banal.”
 

“Para as crianças,tudo é espantoso:
 

um ovo ,uma minhoca ,uma concha de caramujo o vôo dos urubus,
os pulos dos gafanhotos, uma pipa no céu, um pião na terra.
 

 

 

 

Coisas que os eruditos não vêem.”
 

 

“Na escola eu aprendi complicadas classificações botânicas,
  taxonomias, nomes latinos – mas esqueci.
 
 
 
Mas nenhum professor jamais chamou a minha atenção para a beleza de uma árvore…
 
 
 
 
 …ou para o curioso das simetrias das folhas.”
 
 
 
 
“Parece que, naquele tempo, as escolas estavam mais preocupadas em fazer com que
os alunos decorassem palavras que com a realidade para a qual elas apontam.”
 
 
 
 
 “As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor.
 Aprendemos palavras para melhorar os olhos.”
 
 
 
 
 
 “As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor.”
 
 
 
 
 
 
“Aprendemos palavras para melhorar os olhos.”
 
 
 
 
 “Há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem… 
O ato de ver não é coisa natural. 
Precisa ser aprendido.”
 
 
 
 
 
 “Quando a gente abre os olhos,abrem-se as janelas do corpo, 
e o mundo aparece refletido dentro
da gente.”
 
 
 
 
 
 “São as crianças que, sem falar, nos ensinam as razões para viver. 

Elas não têm saberes a transmitir.
No entanto, elas sabem o essencial da vida.”
 
 
 
 
"Quem não muda sua maneira adulta de ver e sentir
e não se torna como criança
 jamais será sábio.”
 

Rubem Alves